Páginas

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Eu defendo o seu uso cerimonial

         







           Eu, nascido no terceiro dia de fevereiro do ano de 1973, numa cidade litorânea do extremo sul brasileiro, e que atualmente ganha vida como funcionário público do estado gaúcho, escrevo para quem tiver olhos pra ler. A minha opinião, num primeiro instante, pode não significar muito, já que o meu número de seguidores em redes sociais é ínfimo e pertenço ao roll dos quase desconhecidos da face da Terra.
         Mesmo assim, não me furto em dizer aquilo que acredito. Assim sendo, quero deixar bem claro aquilo que eu defendo.
         Muito se tem distorcido, mas muito pouco se tem debatido sobre qual a melhor solução. Proibir radicalmente a maconha, trará paz e justiça social? Eu defendo o seu uso cerimonial. Assim o faço em coerência com meu estilo de vida. Isso eu declaro em favor dos pajés e rastas que sopram a fumaça pro alto.
         Aos políticos dessa minha terra, se quiserem dar-me importância, aqui vai a minha sugestão: Liberem, sem demora, o uso cerimonial da planta, para todos aqueles que consideram-na santa. Não faz sentido reprimir uma liberdade de culto que, ao final das contas, não prejudica ninguém. Basta que se tracem limites, para que ninguém imponha ao outro a sua própria verdade e as diferenças sejam respeitadas como partes de um grande todo.
         O que eu aqui falo, não tô mandando por recado. Esse sou eu e não mais ninguém. Defendo sem medo de estar errado. Afinal, quem é o culpado? É o usuário ou o traficante? Acima da relação comercial, tente entender, está o uso cerimonial . Uso daqueles que reverenciam as dádivas da planta e não a exploram como fonte de lucros fáceis.
        Respeito a Santa Kaya, que eleva a mente dos curandeiros da  nação e é por isso que defendo o seu uso cerimonial.
        Defendo porque sou grato a ela e uso porque os seus conselhos me guiam.





              Cesar S.Farias


                         




   
            

3 comentários:

Dioceli disse...

Respito e liberdade de culto sempre deve ser mantido,Deus conhece o coração de todos e o merito de cada um só Ele conhece e atesta .Tudo que servir para melhorar o carater da humanidade deve sem duvida pelo menos ser discutido.Paz e amor sempre!

Pat Kovacs disse...

Eu defendo o uso comercial. Como Gabeira diz, é uma planta estratégica para o século XXI: dá pra fazer milhares de coisas, de remédios à roupas, além de ser uma planta fácil e barata para se cultivar.

Vanessa Gaia disse...

Cesar meu grande amigo, se você apoio eu também apoio viu, tenho pouco conhecimento desta erva no uso cerimonial, mas você me serve como exemplo e representante, e para mim já basta grande irmão, confio em você e nas suas escolhas 100% viu....
Beijos amigo...