Páginas

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

A próxima refeição







O que é vegetarianismo?

 No vegetarianismo entende-se que o consumo de alimentos de origem animal é uma prática desnecessária, que prejudica a saúde humana, o meio ambiente, os animais e a sociedade.

Ovo-lacto-vegetarianos: não consomem qualquer tipo de carne, mas consomem laticínios e ovos.

Lacto-vegetarianos: não consomem carne nem ovos, mas consomem derivados do leite.

Veganos: não consomem qualquer produto de origem animal (leite, ovos, mel) e também não utilizam produtos feitos com couro, lã, seda e cosméticos que contenham ingredientes animais ou que tenham sido testados em animais.


Por que uma pessoa se torna vegetariana?

Saúde: uma dieta vegetariana bem planejada traz muitos benefícios à saúde. Ela é rica em vitaminas, minerais e fibras e pobre em gordura saturada, sendo capaz de contribuir para a prevenção de várias doenças.

Ética: alguns vegetarianos deixam de comer carne por acreditarem que os animais têm direito à vida e que seu sacrifício para fins alimentares é uma crueldade desnecessária.

Meio Ambiente: a produção de alimentos de origem animal causa grande impacto no meio ambiente, por necessitar de mais terras e recursos, além de ser responsável pela produção de uma enorme quantidade de resíduos (poluição).

Fome Mundial: utilizando os mesmos recursos despendidos atualmente com a pecuária (a simples transição do consumo de produtos animais para o consumo de alimentos vegetais) seria capaz de alimentar adequadamente toda a população mundial.


Uma dieta vegetariana é:

- RICA em fibras, vitaminas e minerais.
- POBRE em gorduras saturadas, colesterol e contaminantes químicos (hormônios, antibióticos, pesticidas).
- MODERADA em proteínas e calorias.

Saborosa, trazendo pratos da culinária mediterrânea, indiana, japonesa, etc.

Variada, incluindo hortaliças, legumes, frutas, raízes, cereais (arroz, trigo, centeio, cevadinha), leguminosas (feijão, soja, ervilha, lentilha, grão-de-bico) e oleaginosas (castanhas, nozes, sementes).

Nutritiva, fornecendo todos os nutrientes necessários ao bom funcionamento do organismo.

Preventiva, reduzindo o risco de doenças circulatórias (infarto, derrame, pressão alta), obesidade, diabetes, artrite, pedras nos rins, asma e a algumas formas de câncer, entre outras.


Há um grande número de trabalhos científicos que mostram as propriedades preventivas das dietas vegetarianas.

Um estudo do Instituto do Coração (Incor/USP) de 2002 comparou, entre outros fatores de risco para doenças do coração, a pressão arterial e os níveis de colesterol de 136 pessoas, entre vegetarianos e comedores de carne. Os vegetarianos não apresentaram nenhum caso de pressão alta e apenas 22% das pessoas tinham colesterol elevado. No grupo que consumia carne, 22% das pessoas apresentaram pressão alta e 41% tinham o colesterol acima do limite máximo recomendado.

Há ainda muitas publicações e alguns profissionais que podem orientar uma transição saudável para o vegetarianismo.



A informação e orientação são muito importantes para planejar bem a dieta.

Muitos vegetarianos eliminam a carne de seus cardápios por não quererem participar da carnificina necessária para transformar um animal sensiente em alimento. Os animais são capazes de sentir amor, dor, medo e solidão, por isto a maneira como são criados e mortos é bastante cruel. Não há como matar um animal de forma “humanitária”, tão pouco é possível aceitar que a maneira como são criados atenda ás suas necessidades mais básicas.

Milhões de porcos são mortos todos os anos. Os porcos são animais extremamente inteligentes. Na natureza, são animais capazes de brincar e aprender como um cachorro. Já que o cachorro é o melhor amigo do homem e os porcos fazem a melhor feijoada, o destino deles é ter suas crias separadas da mãe logo após o nascimento, para então viverem uma vida miserável de confinamento e tortura até que possam ser finalmente mortos.



Bois e vacas são animais dóceis e sociais. Quando não são destinados à produção de vitelo (mortos com poucos meses de vida), vivem uma vida de tortura: São castrados, queimados, têm seus chifres cortados, as vacas são ordenhadas 3 vezes ao dia e são separadas de sua cria no dia do nascimento. Na natureza, as vacas são animais que cuidam de seus filhotes com sua própria vida. Os filhotes, por sua vez, precisam do afeto e segurança da mãe, como todo mamífero.

Bilhões de galinhas são mortas anualmente. Apesar de serem animais territoriais, que naturalmente brigam pelo espaço ao seu redor, as galinhas de granja são criadas em espaços superlotados, sendo submetidos à iluminação constante e ao uso de hormônios e antibióticos. As que vivem em jaulas não podem sequer abrir suas asas.




Antes de serem mortos para serem consumidos pelos humanos, os animais são transportados por horas e, momentos antes de sua própria morte, podem ver seus companheiros serem abatidos bem à sua frente, muitas vezes conscientes e em pânico.
Meio Ambiente

1/3 da destruição das florestas tropicais se deve à criação de pastagens para o gado!

Durante as décadas de 70 e 80, 20 milhões de hectares de floresta (3% do total) foram convertidos em pastagens para o gado. 30% da destruição da floresta amazônica é atribuída à pecuária. Isto resulta na perda do habitat de várias espécies. O solo é envenenado, a água é poluída e a emissão de gás metano do metabolismo animal acrescido da destruição da floresta contribuem para o aquecimento global.

Do total de 4,14 bilhões de kg de carne de boi consumidos em 1996 nos EUA, 160 milhões de kg foram importados do Brasil, o que contribuiu para a desertificação da Amazônia, mas não ajudou a alimentar a população brasileira. O benefício econômico obtido com a exportação é enganoso. Estima-se que cada hectare (10.000 metros quadrados) de floresta derrubada para a formação de pastos seja capaz de produzir US$ 160, enquanto que, com uma exploração sustentável (para a produção de látex e frutas por exemplo), a mesma área possa produzir US$ 7.280.

Uma fazenda de porcos gera lixo equivalente a uma cidade de 12.000 habitantes. Estima-se que o gado americano por si só produz 127 toneladas de fezes por segundo, o que significa 13 vezes a produção humana. A amônia contida nas fezes polui as águas e afeta severamente a camada de ozônio. Os resíduos animais são 100 vezes mais poluentes do que os resíduos humanos.

A energia necessária para produzir um único hambúrguer poderia abastecer um veículo para rodar 30 km ou aquecer água para 17 banhos quentes.

A água é escassa no planeta e é motivo de conflitos. A quantidade de água consumida por um boi em sua curta vida é suficiente para fazer flutuar um navio de guerra.





Fome mundial

800 milhões de pessoas passam fome no mundo!

Pode-se facilmente produzir alimentos suficientes para alimentar estas pessoas simplesmente parando de produzir carne, utilizando os recursos empregados na produção de ração animal para produzir alimentos para consumo humano. Os animais utilizam a energia que eles consomem para se moverem, respirar, produzir calor e realizar outras atividades fisiológicas. Apenas 6% das calorias por eles consumidas estão presentes no produto final (carne). Para cada 25 calorias consumidas na forma de grãos, apenas 1 caloria de carne animal é fornecida. 100 kg de proteína vegetal, quando utilizados como ração, transformam-se em 9 kg de proteína animal ou 31 kg de proteína do leite, uma perda de até 91%. Os carboidratos são perdidos quase que totalmente, estando presentes apenas no leite sob a forma de lactose. As fibras são perdidas em sua totalidade. Veja alguns números:

Kg de alimentos produzidos em 100.000 metros quadrados: aipo- 27000; tomate-23000; batata-18000; cenoura 13000; carne bovina-113

Litros de água necessários para produzir 1 kg de alimentos: tomate-192; alface- 192; batata-200; trigo-209; cenoura-275; maçã-409; laranja-542; uva-601; leite-1085; ovos-4540; carne de frango-6802; carne suína-13604; carne bovina-43516.

O gado americano consome alimentos suficientes para alimentar 5 vezes a população humana daquele país!!!

A produção de alimentos não seria mais eficiente se consumíssemos apenas alimentos de origem vegetal?




2 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Um texto interessantíssimo que me ensinou várias coisas.
Um abraço e bom fim de semana

Maria Valéria disse...

muito interessante teu texto... eu não sou vegetariana, mas respeito as pessoas que se tornam... confesso que não pretendo me tornar, embora já tenha pensado a respeito. Conheço alguns amigos que são, e diminui o consumo de carne, parei de comer algumas coisas... acho que a transição vai se dando aos poucos... enfim...
bj
http://torporniilista.blogspot.com.br/